terça-feira, 9 de setembro de 2014

Musica "Garibaldi" - Brincadeira Musical

Boa noite gente!
Essa é a música "Garibaldi", gravada com os alunos do pré 1, na escola que dou aula, onde levei um cavalinho de brinquedo, e as crianças cantam e brincam no cavalinho...
Faço no início da aula para aquecimento.

"Garibaldi foi à missa num cavalo sem espora,
O cavalo tropeçou, Garibaldi pulou fora!
Garibaldi foi à missa num cavalo alazão,
O cavalo tropeçou, Garibaldi foi ao chão!"


"Escravos de Jó" - Brincadeira Musical - Coordenação motora

Boa noiteeeee!
Gente, olha só que legal esse vídeo!
Com a música "Escravos de jó" e 4 varas de cano dá pra fazer uma brincadeira/desafio com as crianças maiores, trabalhando o canto, a coordenação motora, e tudo isso se divertindo!
Confiram!

video


segunda-feira, 8 de setembro de 2014

ARTIGO - Crianças que têm contato com música aprendem a ler e a escrever com mais facilidade


Crianças que têm contato com música aprendem a ler e a escrever com mais facilidade

Estudo comprova associação entre aprender a cantar e a tocar instrumentos com processo de alfabetização

Por Luiza Tenente - atualizada em 25/08/2014 14h34
Siga Revista Crescer no Pinterest
bebês; banda; música (Foto: Thinkstock)
Pode ser no carro, na sala de aula ou na festa de aniversário. Ouvir música com as crianças é sempre uma delícia, certo? O contato precoce com este tipo de arte ainda é capaz de beneficiar o aprendizado do seu filho. Cantar e tocar instrumentos faz com que ele estimule áreas neuronais que serão trabalhadas futuramente em outras funções – como nos cálculos matemáticos ou na leitura de textos.

Tudo começa na fase de musicalização: de forma lúdica, sem ainda formalizar conhecimentos, a criança desenvolve a percepção auditiva. “Ela é capaz de distinguir um som agudo de um som grave. Se ouvir uma valsa e, em seguida, uma marcha, perceberá também a mudança de ritmo”, explica Margarete Kischi Diniz, coordenadora de música do Colégio Porto Seguro, na unidade Morumbi (SP). Essa percepção só é possível porque há um estímulo na região cerebral denominada córtex auditivo. Além disso, ouvir uma canção trabalha a coordenação motora, já que seu filho sentirá o ritmo e o reproduzirá com movimentos corporais – aqueles passos de dança que encantam a família.
Aos 6 anos, em geral, a escola passa a formalizar o ensino musical, apresentando técnicas para tocar instrumentos, notas musicais e partituras. E é justamente esse tipo de conhecimento que auxiliará o processo de alfabetização da criança. “Os princípios de aprender uma canção e de ler um texto são muito parecidos. É a transformação da língua falada em símbolos que precisam ser decodificados”, esclarece Antonio Carlos de Farias, neurologista do Hospital Pequeno Príncipe (PR). Compare: a partitura passa a ser o símbolo que traduz o som ouvido. A palavra escrita segue a mesma lógica, já que é uma representação no papel do que é ouvido nas conversas.

Essa relação foi também comprovada por um estudo recente organizado pela Northwestern University, nos Estados Unidos. Crianças de 9 a 10 anos foram divididas em dois grupos: o primeiro teve lições de música por dois anos e o segundo, nenhum contato escolar com a disciplina. Após o período, os cientistas descobriram que aquelas que aprenderam a cantar e a tocar instrumentos tiveram melhor desempenho em leitura e em escrita. Elas conseguiam distinguir sons com mais facilidade que as demais e não tinham dificuldade de concentração em ambientes agitados.
Além disso, a música é um excelente incentivo à linguagem, por auxiliar na aquisição de vocabulário. Até a interpretação de texto é beneficiada pelo contato com as canções. “A memória operacional se desenvolve e faz com que a criança escute uma música e preste atenção ao que está sendo cantado. Ela consegue absorver a mensagem e o sentimento transmitido. Esse mesmo processo é encontrado ao ler um livro, que exige a concentração para dar significado à história”, explica o neurologista. Acredite: até o aprendizado de matemática é auxiliado, considerando que os números são símbolos, assim como as notas musicais.
Em casa


De acordo com a lei nº 11.769, de 2008, a música deve ser conteúdo obrigatório na Educação Básica de todas as escolas brasileiras. O objetivo da exigência não é formar músicos, e sim desenvolver a sensibilidade e a integração dos alunos. Mas atenção: você também deve estimular o contato de seu filho com a música em casa.

Se a criança perceber que os pais valorizam este tipo de arte, também tenderão a apreciá-lo. Não adianta apresentar uma canção de forma artificial – a introdução precisa ser lúdica. Presenteá-la com um tamborzinho ou dançar junto com ela são formas criativas de iniciar o contato.

É importante que você tome certos cuidados: não coloque o som em um volume muito alto, já que a audição da criança ainda não está totalmente amadurecida. E coloque um ritmo compatível à faixa etária – um bebê preferirá algo calmo, como música clássica. O rock pesado pode esperar um pouquinho, certo?

Aproveite o momento de escutar música em família para enriquecer o repertório cultural do seu filho. Apresente a ele tanto compositores nacionais como internacionais, para que, aos poucos, ele desenvolva uma preferência pessoal. E mais: que tal, a cada faixa, contextualizar a obra? Diga em que época a canção foi criada, em que país ela se originou, como são os costumes daquele local. Será uma brincadeira divertida – e os resultados serão para a vida toda!

Figuras de som/Tempo - folha de registro - colagem

Boa tarde gente! Achei essa folhinha de registro no blog ABC Musical Kids, e estou compartilhando com vocês.
Depois de ensinar as figuras de som, que tal fazer uma atividade diferente de pintar, recortar e colar?!
Beijos Musicais!


TAPETE SONORO - SONS DO COTIDIANO



Material:  
- Tapete ou folhas com peças móveis, em E.V.A, para servir de suporte às imagens sonoras.
- Kit’s temáticos de imagens: Paisagens da natureza (tempestade, mar, chuva, floresta) , instrumentos musicais, meios de transporte, e animais.
- Cd com estes sons.

O brincar– Identificação sonora através da relação som e imagem:
Esta brincadeira poderá ser desenvolvida individualmente ou em duplas, em forma de competição.
1) As crianças deverão estar dispostas de maneira que todas possam ver as peças do Tapete, no espaço a ser utilizado para brincadeiras, por exemplo, sala de aula ou pátio. Como possibilidade de disposição das crianças sugerimos: Todas em semicírculo voltadas para os tapetes de EVA, que estarão posicionados um ao lado do outro. 

2) Em duplas ou individualmente, as crianças serão escolhidas e deverão ficar atentas ao som que o professor executar no radio.
3) O objetivo da brincadeira é que a criança, ao reconhecer o som executado, corra até à figura do instrumento que estará em uma das peças do Tapete e sente no lugar deste. Se o jogo for dado em duplas em forma de competição, marcará ponto quem primeiro identificar o som e chegar ao Tapete no lugar certo. Com crianças pequenas (abaixo de 4 anos) poderá ser feito o mesmo processo, apenas retirando o princípio de competição, focando apenas a identificação.

Variações dentro desta mesma proposta:
Variação I - Da mesma forma como foi descrito o trabalho com os instrumentos musicais, este processo pode ser feito com os outros Kit’s temáticos, por exemplo:
Com sons de animais: o professor coloca a gravação do som de um animal no aparelho de som e as crianças (em dupla ou não, em competição ou não) devem identificar qual figura disposta no Tapete é correspondente ao som escutado e assim com todas as demais possibilidades: sons da cidade, sons da natureza etc.

Objetivos:
• Desenvolver a percepção sonora e visual.
• Ouvir, perceber e discriminar eventos sonoros diversos.
• Reconhecer auditivamente fontes sonoras (instrumentos musicais, sons da natureza, sons do cotidiano, entre outras possibilidades).
•Identificar timbres de instrumentos musicais e sons variados.

Referências:
Programa de Apoio à Produção de Material Didático
Brincando e aprendendo: um novo olhar para o ensino de música
Iveta Maria Borges Ávila Fernandes-Coordenação e Supervisão

Você encontra no link: http://www.arte.seed.pr.gov.br/arquivos/File/livros/miolo.pdf


Referências
BARSA PLANETA INTERNACIONAL. O livro dos sons. 10. ed. São Paulo: Barsa Britannica, 2006. (v 5)
BRASIL.MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Referencial Curricular Nacional para a Educação In- fantil. Brasília: MEC/SEF, 1998. (v. 3)
BRITO, Teca Alencar. Música na Educação Infantil: propostas para a formação integral da criança. São Paulo: Peirópolis, 2003.
ENCICLOPÉDIA VIRTUAL: http://pt.wikipedia.org Acesso em 02/03/09.
HENTSCHKE, Liane. et al. A orquestra Tintim por Tintim. São Paulo: Moderna, 2005. Inclui 1 CD.
IMAGENS LIVRES: http://www.sxc.hu Acesso em 02/03/09.
PAREJO, Enny. Estorinhas para ouvir: Aprendendo a escutar música. São Paulo: Irmãos Vitale, 2007. Inclui 1CD.


terça-feira, 2 de setembro de 2014

"Faz o Tamborzinho" - Timbre - Ritmo

Boa noite meus amigos musicais!
Esse é meu mais fofinho, queridinho, lindinho, garoto propaganda, aluno Gustavo, de 3 aninhos, mostrando que ritmo ele domina, marcando o pulso da música "Faz o Tamborzinho"
Essa música trabalha o timbre (pode-se usar outros instrumentos), e a pulsação da música.



video

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

MOLAS - "As mãozinhas sobem" - ALTURA

Boa noite pessoal!
Essa atividade eu fiz com o 2º período, idade de mais ou menos 5 anos, onde usei molas para ilustrar o grave e o agudo através da música "As mãozinhas sobem". Eles amam o "visual" e o "gestual", e é muito importante que todas as músicas tenham algo para ilustrá-las.

video







segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Boliche Musical



Por: Alicia Sampaio



Boliche produzido por mim



Faixa etária
3 a 4 anos

Número de jogadores
Mínimo: 02 jogadores Máximo: 20 jogadores.

Materiais que fazem parte do jogo
• 06 Pinos de plástico de diferentes cores (garrafas tipo Pet) contendo imagens de figuras de instrumentos musicais.
• 06 instrumentos musicais iguais os que estão na imagem de cada pino (garrafa). 
• 01 bola de tamanho pequeno feita de jornal, envolvida em meia fina (uso de material reciclável).

 Objetivos
Associar e Reproduzir os sons a partir da imagem.
Explorar a sonoridade dos instrumentos musicais de forma lúdica e prazerosa.
Propiciar o desenvolvimento integral das crianças por meio do fazer e do apreciar em música.

Conteúdos
• Socialização • Percepção visual • Discriminação sonora• Memória auditiva • Concentração • Coordenação motora • Exploração e reprodução de diferentes sons • Manuseio/exploração de instrumentos musicais
Modo de jogar
• Organização: Os pinos devem ser organizados no chão em forma de triângulo com espaçamento entre eles. As crianças são divididas em dois grupos para acomodá-las sentadas em fila na lateral da pista central. O professor poderá demarcar o espaço para o jogo e orientar sobre as regras do boliche.
• O jogo: Uma criança de cada vez (alternando a fila A e a fila B) joga a bola e tentará derrubar um pino. Em seguida, verificará qual pino derrubou e qual instrumento o pino representa. O aluno deverá identificar o instrumento primeiramente, e logo depois, buscá-lo para produzir o som.
Organização do espaço:
Observação: Caso a criança derrube mais de um pino, o jogador deverá escolher apenas um para dar continuidade à partida.
Referências:
Programa de Apoio à Produção de Material Didático
Brincando e aprendendo: um novo olhar para o ensino de música
Iveta Maria Borges Ávila Fernandes-Coordenação e Supervisão

Brincando de Folclore (Parlenda)

 Por: Nice e Rô


PARLENDA
- Brincar
- Cantar
- Dramatizar
- Identificar as palavras em destaque no cartaz
- Identificar uma de cada vez na folha individual para ilustrar e tornar o pequeno texto em enigmático.
- Artes com papéis e desenho livre!
- As crianças se apropriam do texto mais rapidamente e vão compreendendo cada dia mais e melhor a função do texto, da escrita.
- Texto foi levado totalmente pronto para exploração.
- Textos trabalhados que ficam expostos levam as crianças à leituras espontâneas, sempre que desejam se aproximam do cartaz e "leem" passando o dedo nas palavras/ilustrações, tornando-se mais confiantes e estimulados, sem grandes cobranças, a leitura vai sendo vivenciada de forma lúdica.











 

terça-feira, 6 de maio de 2014

Grave/Agudo - Fui subir numa escadinha

Fui subir numa escadinha



Letra:
Fui subir numa escadinha, que não tinha corrimão,
 lá em cima tropecei, vim rolando até o chão.




Música: Escadinha - Berçário e Maternal. 

Pode-se interpretá-la com os alunos em pé ou sentados. 

Em pé, subir até ficarem na ponta dos pés, e ao descer, tocar o chão. 

Sentados, utilizar os braços, conforme descrito no vídeo.

Para que quiser tocar: é a escala de dó com um glissando do final (para a descida).

 Desenvolve coordenação motora, atenção, percepção inicial de graves/agudos e diversão!


(Extraído do Youtube - https://www.youtube.com/watch?v=ifE_VqxJEAo)

Jogo sobre altura do som

Com dois copos de diferentes quantidades de água, o aluno tem de tocar correctamente a frase que o professor mostrar, no quadro, ou até mesmo por sorteio.
(Fazer ver aos alunos que o copo com menos água produz um som agudo e com mais água um som grave)



(Obs: Todos os créditos são para AEC Musical)

Grave/Agudo - Música

Canção sobre a Altura do Som

Este tema que fala sobre a altura do som pode e deve ter gestos e movimento, principalmente na parte "estou em cima, estou em baixo,..."



Vamos Aprender um canção
Ela vai dizer se a nota está no ar
Se a nota está no chão
Estou em cima, estou em baixo
Estou de pé, estou sentado
Estou agudo, estou tão grave
Vou-me virar para o lado.
(viram 1/4 para o lado direito e cantam a música 4 vezes até voltarem à posição de partida)


(obs: Todos os Créditos são de AEC Música)

Parâmetro altura/Movimento sonoro/Grave e agudo

video




Exercícios de diferenciação das propriedades do som são realizados a partir de sons vocais ou instrumentais produzidos em sala de aula. A música trabalhada (O Carnaval dos Animais de Orelhas Compridas - C. SAINT SAENS) é um exemplo muito claro de como as quatro propriedades do som estão presentes: nesse caso, especificamente, temos graves e agudos, fortes e suaves, curtos e longos.

Diversos desdobramentos da mesma atividade podem ser feitos, principalmente estratégias corporais e lúdicas que podem ser utilizadas para brincar com os graves e agudos.

Essas atividades contribuem para:
• Refinar a escuta musical;
• Conscientizar os parâmetros sonoros por meio de atividades lúdicas;
• Trabalhar a imaginação e o movimento corporal.

Veja que interessante a interação, o envolvimento e a escuta do Maternal E do Augustus Educação Infantil.

(Obs: Os créditos são todos das professoras do Colégio Augusto Laranja)

segunda-feira, 5 de maio de 2014

"O COFRE"

Oi amigos!
Hoje vou postar a música "O Cofre" do CD "Catibiribão" Vol 2 de Silvia Negrão.
As crianças menores aaaamam essa musica, principalmente na parte "Meu Deus o que será isso!" rsrs

Material a utilizar na aula:
Cofre (Baú de madeira pequeno) com vários objetos dentro.

Please, não reparem o vídeo, fiz rapidinho pra demonstrar a música. Espero que gostem! Boas aulas!
Aí vai:


video






domingo, 4 de maio de 2014

MARIMBA DE GARRAFA ou GARRAFONE

Olá pessoas lindas!
Há quanto tempo não venho aqui, não é mesmo?
2014 é o ano do término da minha faculdade e muitas mudanças na vida tem me impedido de estar, mas EU VOLTEI (mesmo que eu suma novamente amanha) rsrs
Vou postar hoje sobre o "Garrafone" ou Marimba de Garrafas de Vidro.
Lá vai:

Para brincarmos com a escala, construímos um instrumento que chamamos de "marimba de garrafa" ou "garrafone".

Confecção:
Material Necessário:
1. 08 garrafas de vidro transparente (de preferência de sucos de frutas, no caso, usamos da marca Maguary)
2. Corante líquido de cores variadas
3. Água

Modo de fazer:
Enfileirar as oito garrafas e em cada uma colocar a quantidade descrita abaixo:

"Dó" - 510ml
"Ré" - 310ml
"Mi" - 250ml
"Fá" - 230ml
"Sol" - 180ml
"Lá" - 150ml
"Si" - 50ml
 "Dó" - 30ml

Confiram a afinação, se houver muita diferença, acrescentar ou retirar a água da garrafa.

Para tocar:
Um ferrinho ou uma colher.