quinta-feira, 7 de junho de 2012

Dedoches para a aula de musicalização

Por www.ateliermusicalrp.com.br/

Achei muito legal essa idéia para recursos visuais na aula de musicalização. Pode ser usado como exemplo no musical Os Saltimbancos, que tem musicas com animais! Gostei, ta aí! É só ter disposição e botar pra quebrar! :)








Animais: - Urso Panda - Sapo - Elefante - Porco - Coelho - Gata - Rato - Leão - Pintinho - Urso

terça-feira, 5 de junho de 2012

Planejamento de aula

Para quem tem dúvidas sobre planejamento:


_______________________________________________________________




Atividade 1:  Todo início de aula:  “Como vai você”
O brincar:
1.  As crianças em pé, formam um círculo;
2.  Cantam e dançam conforme sugere a letra da música;
3.  As crianças trocam de par e continuam cantando, dançando e trocando de par até cumprimentarem  todos os amigos.
Objetivos: 
- ter momentos agradáveis no período de início da aula;
-  vivenciar um clima de amizade e companheirismo por meio de brincadeiras;
-  desenvolver a atenção e concentração;

Atividade 2- “Ordem e comando”
Material: 1 instrumento que produza som grave ( ex. tambor) e 1 instrumento que produza som agudo (ex. guizo).
O brincar:
1.  As crianças ficam em pé
2.  Ao som grave: abaixam
3.  Ao som agudo: ficam em pé
O professor comanda a brincadeira e depois pode passar para outro aluno fazer os sons.
Objetivos:
-  desenvolver a atenção;
-  diferenciar timbres;
identificar sons

Atividade 3- “Passa- passa” – Música- Engatinhando- Palavra Cantada
Material: Grupo de amigos e um objeto, de preferência uma bola.
O brincar:  Um mestre vai inventando maneiras de passar a bola, e assim todos vão repetindo.
Objetivos:
- estimular a atenção
- trabalhar a pulsação da música
- interação

Atividade 4:"Brincadeira dos Timbres"
Material: 
-6 ou mais folhas de sulfite com um instrumento desenhado em cada uma.
-1 cd com os sons dos mesmos instrumentos.
 Exemplos:

O brincar:
Coloque as folhas de sulfite lado a lado.
Se a classe for muito grande, separe grupos com 5 alunos. ( se a classe for pequena, dá pra fazer com todos). Organize qual grupo irá começar a brincadeira e diga que o restante terá que se comportar, caso contrário não participará do jogo.
Faça uma fila indiana com o grupo que começar ( ou com a classe toda,se for pequena) e os posicione no meio dos instrumentos.
O professor comandará a brincadeira, ligando o som no instrumento de sua preferência. O grupo deve ouvir atentamente e correr para o desenho respectivo ao som, sempre em fila. Se alguma criança não correr junto do grupo, ficar parada ou errar , o grupo sai e dando lugar a outro.
O professor poderá trocar de instrumentos quando quiser, para que não se repitam os timbres.
Poderá haver vários ganhadores!

Objetivos: 
   - Trabalhar os timbres de cada instrumento;
- estimular a concentração;
-  atenção;
-      Conhecer os instrumentos;
Atividade 5 “BONECO DE PAU”
(folclore brasileiro)

O brincar:
1. Contar a melodia gesticulando conforme sugere a letra.
3.   Demonstrar quais os sons que podemos fazer com as mãos e  os pés.

Objetivos: 
Levar a criança a:
- resgatar a música folclórica;
- utilizar a música como recurso para o desenvolvimento da coordenação fina;
- interpretar melodias;
- estimular a memória musical;

Relaxamento para finalizar a aula: Imitar o nascimento de uma plantinha a partir da semente, assim, alongar todas as partes do corpo.


__________________________________________________________

Atividade 1:  Todo início de aula:  “Dar um abraço” Música: Sai Piaba
O brincar:
  1. As crianças em pé, formam um círculo;
  2. Cantam e dançam conforme sugere a letra da música;
  3. No final se abraçam;
  4. As crianças trocam de par e continuam cantando, dançando e trocando de par até abraçarem todos os amigos.
Objetivos:  Levar a criança a:
  • ter momentos agradáveis no período de início da aula;
  • vivenciar um clima de amizade e companheirismo por meio de brincadeiras;
  • desenvolver a atenção e concentração;
  • interagir e socializar-se.
Atividade 2 : “Telefone sem fio sonoro”
Material: 1 instrumento de percussão.

O brincar: 
  1. As crianças sentadas formam um círculo;
  2. O professor pode começar para que aprendam a brincadeira, tocando uma célula rítmica com o instrumento.
  3. Depois de tocar, ele entrega o instrumento ao aluno ao lado, que precisa tocar o mesmo rítmo.
  4. Todos da roda precisam fazer a célula rítmica.
  5. Após todos terem tocado, o aluno que está ao lado do professor inventa outro ritmo, e assim sussessivamente, até que todos toquem e inventem seus rítmos.
Objetivos: 
  • desenvolver a atenção e a destreza de raciocínio;
  • estimular a criatividade e a coordenação motora;
  • desenvolver a concentração.
Atividade 3- “Ordem e comando”

Material: 1 instrumento que produza som grave ( ex. tambor) e 1 instrumento que produza som agudo (ex. guizo).

O brincar:
  1. As crianças ficam em pé
  2. Ao som grave: abaixam
  3. Ao som agudo: ficam em pé
O professor comanda a brincadeira e depois pode passar para outro aluno fazer os sons.

Objetivos:
  • desenvolver a atenção;
  • diferenciar timbres;
  • identificar sons;
Atividade 4- “Que som é este?”

Material: 
- 3 ou mais objetos que façam barulho, como: sino, buzina de bicicleta, boneco de borracha, ou instrumentos de percussão como ganzá, pandeiro, chocalho etc
  • um cobertor ou um tecido de TNT grande e preto.
O brincar: 
  1. Coloque no chão, de 3 a 5 objetos sonoros em fila;
  2. Esconda os objetos atrás do cobertor ou do tecido para que as crianças não os vejam;
  3. As crianças devem se sentar no chão e em frente ao cobertor;
  1. Retire o cobertor e faça um som usando cada um dos objetos, para que se familiarizem com os sons.
  2. Cubra-os novamente, e faça um som com apenas um dos objetos, pedindo para que as crianças descubram qual é o objeto que produz aquele som;
  3. Felicite-as sempre que conseguirem descobrir.
Objetivos: 
- estimular e enriquecer a capacidade auditiva da criança;
- desenvolver a concentração.


Atividade 5- “Passa- passa” – Música- Engatinhando- Palavra Cantada

Material: Grupo de amigos e um objeto, de preferência uma bola.

O brincar:  Um mestre vai inventando maneiras de passar a bola, e assim todos vão repetindo.

Objetivos: 
- estimular a atenção
- trabalhar a pulsação da música
- interação


Relaxamento para finalizar a aula: Imitar o nascimento de uma plantinha a partir da semente, assim, alongar todas as partes do corpo.

Brincadeiras musicais



Cabra Cega, mas não Surda 
            Concentrar nossa atenção em um determinado timbre no meio de vários outros é focalizar nossa audição que consiste num exercício de percepção muito importante e difícil de realizar.
            
Distribuir um instrumento ou objetos que produzem som para cada criança. Peça para cada um tocar seu instrumento individualmente. Sortear uma criança para ser a cabra-cega, vendar seus olhos. Aponte para uma criança e peça para tocar o seu instrumento. Rode a cabra cega, enquanto os outros alunos se movimentam pela sala.  Ao sinal as crianças se fixarão em lugar da sala e o aluno de olhos vendados deverá descobrir, somente pelo som, o instrumento que ouviu anteriormente.
Variações
1.     O professor pode realizar a atividade regendo uma improvisação, enquanto a cabra-cega procura o instrumento pré-determinado. Nesta improvisação, o professor irá apontando quem tocará, usando solos, duos, trios, silêncios etc.
2.     Numa segunda fase do jogo e com crianças maiores, o professor pode dificultar um pouco, pedindo as crianças que se movimentem enquanto tocam e a cabra-cega terá que perseguir o som em movimento.
3.                      Cabra-Cega em pares: divide-se a classe em pares. Cada par combina um som (vocal ou instrumental). Uma criança do par terá seus olhos vendados, enquanto a outra se fixará em um lugar na sala de posse do som combinado. A um sinal determinado anteriormente, a criança fixa começa a produzir o seu som. A criança de olhos vendados andará pela sala até descobrir o seu par, apenas pelo reconhecimento do timbre do som preestabelecido entre elas.
            O que desenvolvemos com esta atividade?
            Memória – Concentração – Discriminação de Timbres – Consciência Corporal e Espacial

O caminho sonoro 
            O desenvolvimento auditivo e a exploração do fenômeno sonoro são os dois eixos básicos do trabalho de Percepção Sonora.
Separe vários objetos sonoros que tiver à sua disposição: (copo plástico, sacola plástica, pauzinhos de madeira, bichinhos de borracha etc.) Coloque as crianças numa roda e vá passando cada objeto escolhido, uma por vez pedindo às crianças que façam um som com aquele material. Aproveite cada som feito e faça a análise. Depois da exploração sonora, junto com as crianças, escolher o som que foi mais interessante.  Tirar uma criança da sala, distribuir novamente os objetos espalhando os componentes pela sala. Cobrir os olhos da criança que está fora da sala e guiando-a faça um caminho pela sala, sendo que cada vez que vocês passarem por uma criança esta tem que tocar o seu objeto. A criança com os olhos vendados tem como missão identificar o som escolhido anteriormente pela classe.
O que desenvolvemos com esta atividade?
Concentração – Orientação Espacial pelo Som – Memória Auditiva – Discriminação de vários Timbres – Imaginação Sonora.

Sonorização de histórias (143)
Escolha uma história tendo como relevância a faixa etária das crianças, não muito extensa e quantidade de texto (as estórias de pouco texto são as mais interessantes), ou também livros que só possuam imagens (no caso o professor deverá formalizar uma história junto com as crianças).
Chegou o dia do conto da história. Apresente para as crianças e certifique-se que elas entenderam. Faça um levantamento dos sons mais evidentes da história: o som do lugar que se passa a história, os diferentes passos e vozes dos personagens, etc. Realize estes sons vocalmente.
Depois, pesquise nos instrumentos musicais, brinquedos sonoros ou objetos sonoros, os timbres e efeitos sonoros desejados. Nesta exploração é interessante que você comente cada som, apontando suas características. Organize o material separado para cada momento da história, e o que cada criança tocará. Realize a estória sonorizada. Grave, ouça, comente com seus alunos.
Dica de um livro para o trabalho de sonorização: “Truks”, de Eva Furnari, Ed. Ática.


Trabalhando com as crianças de 6 anos, ela já percebe sons ascendentes (subindo: grave para o agudo) e descendentes (descendo: do agudo para o grave). 


Ouvindo com o Corpo 
        Proponha que as crianças andem pelo espaço da sala, explorando as várias direções, acompanhando os “passos do tambor” (pulsações: batidas regulares num espaço de tempo). Quando o tambor parar de tocar, elas devem parar o movimento imediatamente.
Faça várias seqüências de pulsações, mudando o andamento entre elas, isto é, seqüências com pulsações rápidas, outras com pulsações lentas, outras com um andamento intermediário, etc.
Após este aquecimento, toque seqüências explorando a intensidade das batidas no tambor. Toque uma batida forte, uma fraca, várias batidas associando forte/rápido, forte/lento, fraco/lento e fraco/rápido. As crianças devem reagir ao som com movimentos naturais, moldando seus corpos em diferentes formas no espaço.

Caixa-surpresa 

Utilizar uma caixa toda enfeitada para despertar a curiosidade da criança em relação ao conteúdo da mesma.
Dentro da caixa disponibilizar 5 objetos que produzam som, como: (pau de rumba, colher, chocalho, buzina e copo de plástico).
Mostrar a caixa às crianças, balançando-a. Deixando-as sugerir o que poderia ter dentro da mesma.
Intervenção do professor junto às crianças: É de vidro? É de madeira? Deixe que cada criança sinta os objetos, sem vê-los, e descreva o que está sentindo. Ajudaremos perguntando sobre a forma, temperatura, material, etc.
Depois dessa etapa, tocar cada fonte sonora, ainda não deixando as crianças verem. Ressalte a ordem, enumerando antecipadamente cada som. Intervenção do professor: quantos sons nós tocamos? Qual som você achou mais engraçado? Qual som foi mais forte? Abusando do ritual, pois o mistério para a criança é fascinante, coloque os objetos sobre um pano. Procure não deixar com que eles soem, enquanto nós os colocamos.
Apontar para um deles e pedir as crianças, que imaginem o som e o reproduzir vocalmente. Depois da reprodução vocal, toque-o chamando atenção para a semelhança ou a diferença da imitação interior. Explorar cada fonte sonora com as crianças. Após esta exploração, pedir para as crianças fecharem os olhos, uma de cada vez. Tocar um dos objetos e o colocar  no lugar novamente. A criança tem que perceber qual deles nós tocamos e tocá-lo também.

Atividades para musicalização de bebês

 
PROPOSTAS DE ATIVIDADES PARA A MUSICALIZAÇÃO DE BEBÊS


I  RECEPÇÃO

Objetivos das atividades de recepção
·         Receber o bebê de forma afetiva e acolhedora;
·         Criar a sintonia do grupo;
·         Estimular atenção;
·         Iniciar a estimulação multissensorial.

Atividade 1  CONHECENDO O VIOLÃO NO PRIMEIRO DIA DE AULA

                       Descrição da Atividade:
1.       Ao entrar na sala, o bebê encontra o Violão ao centro do tapete, pode manipulá-lo e explorá-lo com total liberdade.
2.       Ensine o bebê a obter o som da corda do Violão.
3.       Nas cordas soltas do Violão, improvise uma pequena canção que utilize o nome do bebê.
4.       Estimule a percepção tátil da vibração do instrumento, aproximando-o de diversas partes do corpo do bebê: os pezinhos, as costas, os bracinhos, as mãos, etc.

Atividade 2  EXPLORANDO SONS E FONTES SONORAS

Tal atividade pode ser realizada ao início de cada aula, deixando a disposição instrumentos de mesmo tipo a explorar (clavas, xequeres, pauzinhos, chocalhinhos, triângulos, etc).
          
Descrição da Atividade:
1.       O bebê entra na sala, encontra tais instrumentos ao centro do tapete, pode manipulá-los e explorá-los com total liberdade.
2.       Valorize as explorações do bebê e incentive sua repetição por todos do grupo.
3.       Em momento posterior, mostre ao bebê como se costuma utilizar o instrumento ou fonte sonora apresentado.
4.       Brinque de orquestra: a um sinal seu, os bebês produzirão sons ou silenciarão; treine sinais simples de regência; ensine o bebê a valorizar o silêncio.
5.       Nessa brincadeira de orquestra, explore nuances de intensidade e velocidade dos sons.


Atividade 3   CANÇÃO DE CHEGADA
                      
Trata-se de um momento muito importante para a acolhida do bebê, as canções devem ser bem curtas possibilitando que se cante colocando o nome do bebê em algum lugar da letra, assim como da mamãe ou acompanhante. De maneira geral, os bebês utilizam o instrumento recém explorado para acompanhar a canção.

Atividades para musicalização de bebês

 
link com o material: www.ennyparejo.com.br
 
  

MUSICALIZAÇÃO DE BEBÊS II
 


II  ESTIMULAÇÃO MULTISSENSORIAL

Objetivos das atividades
·         Contribuir para o desenvolvimento do bebê.
·         Estimular os sentidos: ver, ouvir, cheirar, tocar, ser tocado.
·         Estimular ações: falar, cantar, andar, manipular.
·         Propiciar a interação na relação a dois e no grupo.


Atividade 1  ESTIMULAÇÃO PELA VIBRAÇÃO SONORA

Descrição da atividade:
1.       Coloque o bebê em contato direto com instrumentos e fontes sonoras que ressoam, para que ele possa sentir no corpo a vibração do som. Instrumentos interessantes para essa finalidade podem ser: Violão, Gongo, Prato, Sininhos, Pau de Chuva, Tambor de mar (Oceam drum), entre outros.
2.       Aproxime o instrumento do bebê, afaste, faça com que encoste em partes do corpinho.

Atividade 2  CANÇÕES PARA TOCAR (toque corporal)

Trata-se de pequenas canções que além de estimular a neurofisiologia do bebê, favorecem o vínculo afetivo entre ele e a mãe ou acompanhante. Podem ser cantadas neste momento inicial, mas também ao final da aula, como forma de relaxamento.

1.       Cante a canção para cada uma das mães para que possam vivenciar seu efeito antes de realizar com o bebê.
2.       Cante também para cada bebê, o vínculo afetivo deve estabelecer-se também entre você e os pequenos.

Atividade 3  CANÇÕES PARA INTERAGIR COM O CORPO DO BEBÊ

1.       Incentive mamães a tornarem-se ativas no processo da aula. Nesse tipo de canções, a mamãe estimula alguma ação por parte do bebê (andar, bater palma, dar tchau, beijinho etc) ou simplesmente sensibiliza movimentos de partes de seu corpo, articulações, através da escuta ou entoação de uma canção. Abaixo seguem alguns exemplos:

a)      Canção “Dandá pá ganhá vintém” (recolhida por Lídia Hortélio) – enquanto canta, a mamãe auxilia o bebê a dar passinhos.
b)      “Serra, serra, serrador” – explora-se o movimento de embalar em diversas posições.
c)       Parlenda “Arre burrinho – a mamãe percorre pela sala um trajeto com o bebê no colo, ou o próprio bebê caminha ao som da parlenda, levando um cavalinho.
d)      Canção “Pirulito que bate bate” - mãe e bebê sentados frente a frente. Enquanto canta, a mamãe percute o pulso da música nas mãozinhas do bebê e depois o estimula a fazer o mesmo.
e)      Canção “A canoa virou” – com o bebê no colo, segurando as mãozinhas, a mamãe canta e o embala como se estivessem em uma canoa.
f)      Canção “Estica e dobra” – o ritmo da canção permite que se articule as partes do corpo do bebê ajudando-o a desenvolver a consciência corporal.

Atividade 4   ESTIMULAÇÃO RÍTMICA TÁTIL

Descrição das atividades:

1.       Ensine para mamães ou acompanhantes uma parlenda. Sugestões de parlendas: “Arre Burrinho” (folclore português); “Hoje é domingo”, “A galinha do vizinho” (folclore brasileiro).

Amanhã é domingo, pé de cachimbo, O cachimbo é de ouro, bate no touro, O touro é valente, bate na gente, A gente é fraco, cai  no buraco, O buraco é fundo acabou-se o mundo...

2.       Faça com que percebam com clareza a diferença entre Pulso e Ritmo, percutindo pulso nos joelhos e batendo o ritmo (silábico) com palmas, por exemplo.

3.       Das palmas o ritmo passa para um pequeno instrumento de percussão (chocalhinho, martelinho sonoro, caxixi, por exemplo).
As mamães pronunciam a parlenda e percutem diferentes partes do corpo do bebê no seu ritmo, por isso é muito importante que tenham a percepção clara do ritmo da parlenda.

4.       Algumas parlendas sugerem gestos, movimentos, sons e locomoções que podem ser realizados pelos bebês, ampliando o potencial expressivo da atividade.

Atividade 5  CANÇÕES PARA PRODUZIR SONS VOCAIS, MOVIMENTOS E TOCAR
                        INSTRUMENTOS

Descrição das atividades:
1.       Incentive o bebê a cantar e a produzir os sons e movimentos dos personagens e eventos citados nas canções. Seguem alguns exemplos:
a)      Canção “Lá no circo” (autoria infantil sob a coordenação de Montserrat Sanuy) – incentive o bebê a produzir os sons dos bichos e a acompanhar a canção com palmas ou instrumentos, durante o canto.
b)      Canção “A casa” (Grupo Curupaco) – incentive os bebês a tocar o pulso e a subdivisão da canção com pequenos instrumentos de percussão; bebês maiores conseguem dobrar e articular sozinhos  partes do corpo no ritmo da canção.
c)       Canção “Todos os patinhos” – estimule a pesquisa do som do patinho e o movimento de pinça com os dedinhos, imitando o bico do pato.
d)      Canção “Chuva caindo” – incentive o bebê a tocar o pau de chuva e a produzir sons de gotinhas percutindo com o dedo indicador, ou com dois dedos a palma da mão.

 
Atividade 6  CANÇÕES PARA PARTILHAR BRINQUEDOS E INSTRUMENTOS

A função dessas canções é trabalhar com o bebê a sociabilização e o desapego aos materiais pedagógicos na sala de aula, fazendo com que aprenda a partilhá-los com os coleguinhas.

Descrição das atividades:

1.       Coloque um único instrumento, fonte sonora ou bichinho na roda. Cante a canção.
2.       A cada vez que se canta a canção o objeto é passado ao coleguinha seguinte da roda. Seguem alguns exemplos:
a)      Canção “Sapo cururu” – o sapinho (reco-reco) é passado na roda, enquanto dura a canção o bebê pode explorar seu som.
b)      Canção “Pintinho amarelinho” (livro de Josette Feres) – um pintinhio amarelinho passa pela roda enquanto se repete a canção.

 
Atividade 7  OBJETOS PARA OBSERVAR, MANIPULAR E ESTIMULAR A IMAGINAÇÃO

1.       Promova a estimulação multissensorial do bebê apresentando objetos interessantes que ele pode ver, manipular, eventualmente sentir odores e naturalmente cantar. Na sequência, alguns exemplos:

a)      Elefantinho que desce a rampa (brinquedo educativo) – os bebês podem colocar o elefantinho na rampa, ouvir o som que produzem ao descer, cantar canções de elefantinho.
b)      Galinhazinhas siscando (brinquedio da cultura popular) – os bebês podem manipular o brinquedo, ouvir seu som, cantar canções ou dizer a parlenda “A galinha do vizinho”.
c)       Pião (brinquedo feito de tampinha de garrafa pet) – coloque o pião para rodar, cante e dance com os bebês a canção “O pião entrou na roda”.
d)      Roda gigante (brinquedo de madeira) – personagens e bichinhos podem se sentar na roda gigante, o bebê aprende a fazê-la girar, coloca os personagens nos banquinhos e canta sua canção.